Estudos sobre Nutrição Animal

Os estudos abaixo sobre lignosulfonatos na nutrição animal foram realizados independentemente da qualidade de pelete:

"Lignosulfonatos fornecem oligosacarídeos fermentáveis que ​​afetam o pH cecal, do cólon e a microflora;  e eles, em última análise, podem ser benéficos para a saúde do trato gastrointestinal." George Fahey, et. al., University of Illinois (1998). "Selected lignosulphonate fractions affect growth performance, digestibility, and cecal and colonic properties in rats." J. Anim. Sci. 76:1626-1635.

Uma redução significativa no pH cecal ocorreu quando lignosulfonato de cálcio foi adicionado à ração. Os dados indicaram que os lignosulfonatos reforçaram a fermentação no ceco. Ed Moran, et. al., Auburn University, (1992). "Reduction in pH of cecal contents with broiler chicks given probiotic and soluble complex carbohydrates supplemented to the starting feed."  Poultry Sci. 71 S:167.

A adição de 1,5% de lignosulfonato melhorou e conversão alimentar e não teve impacto sobre a umidade da cama. A. Kivimäe (1978). "Effects of lignosulphonates on poultry when used as a binder in compounded feed." Arch. Geflügelk. 1978, 42, 238-245.

O Lignosulfonato tem valor de energético de 2,33 kcal / kg. Park Waldroup, et. al., University of Arkansas. "Determination of the metabolizable energy of a lignosulphonate pellet binder." (1968) Poultry Sci. 47:592-597.

Frangos de corte alimentados com 0,25% de lignosulfonato de cálcio tiveram um aumento de 8% no ganho de peso. "Marasperse N in chick rations." (1953) Marathon Corporation Research Report, Jim Adams.